Entry: sinistra palavra Friday, May 30, 2008





esther lucio bittencourt


um olho s na cara.
dois olhos. seguros;
ao ver a cena muda
certo dar-lhe fala.

sinistro som palavra
sem cor soa na sala.
paredes curvam-se,
gemem, a porta cala.

e mesa h repasto
de farinha, leite, mel,
a mosca rumina lenta
seu argumento final

o trem viola a toalha
posta como linho frio
cheiros, gritos, metal.
e vozes , o som cruel.

um olho s na cara no
rosto de pergaminho.
ao ver a cena muda
criou enfim assunto.

   1 comments

anin
September 12, 2008   12:25 PM PDT
 
Depois de ler alguns dos seus poemas descobri que sou de uma ousadia sem tamanho! Mas nunca tarde pra se aprender!
Amei!
Bjs

Leave a Comment:

Name


Homepage (optional)


Comments